PLANO DE ESTUDOS – Conteúdo programático para aprender inglês

Eu entendo que para autodidatas possa inicialmente existir uma grande dificuldade em quais conteúdos estudar, como estudar, como se organizar, quanto tempo do seu dia usar, tempo de progresso, entre outras tantas dúvidas normais quando você está iniciando o aprendizado em um idioma estrangeiro, sendo esta a sua primeira vez e ainda por cima, se não está matricula em um curso.

Pensando nisso, resolvi  ajudar o máximo de pessoas com um plano de estudo que pode auxiliá-los nesta caminhada desafiadora. Fiz com muito carinho e cuidado. Espero que gostem, que curtam, que compartilhem, que complementem com comentários e que aprendam. Desejo muita felicidade a todos nessa caminhada porque eu fui e sou muito feliz na minha, graças a Deus.

Dicas antes de começar, não deixe de ler!

#1 TENHA UM OBJETIVO

target

Por que você quer aprender inglês? Ou mesmo outro idioma. Gente, enquanto eu não determinei isso para mim, eu sempre desistia no início, não chegava nem à metade do caminho. Não é uma bobagem, é realmente necessário saber o seu objetivo principal e é altamente motivador.

#2 TIRE DA SUA CABEÇA A PALAVRA ‘ESTUDAR

 

estudando-dormindo

Eu gosto muito de estudar, mas mesmo para mim, ‘estudar’ um novo idioma soava maçante. O aprendizado de um novo idioma é algo realmente interessante e deve ser prazeroso, então não estude, tenha sempre em sua mente: estou aprendendo. Até porque, falar inglês é uma habilidade, ou seja, capacidade ou não de fazer algo. E o aprendizado de um novo idioma se dá de tantas formas – lendo, escrevendo, mas principalmente se divertindo quando está ouvindo uma música que gosta ou assistindo um filme ou série. Então não diga mais estudar, substitua por APRENDER. Para mim teve um efeito quase milagroso que ampliou meus horizontes.

Leia: A diferença entre estudar e aprender

#3 ACESSE CONTEÚDOS QUE REALMENTE GOSTA.

quando-voce-esta-lendo-alguem-te-atrapalha-conversa-livros-leitores-lendo-mademoisellelovesbooks

Eu costumava tentar ler e ouvir de tudo, mas tem conteúdos que não me interessam muito, então eu tentava lê-los em inglês e simplesmente não assimilava. Justamente porque se eu não lia determinados artigos em português por que faria isso em outro idioma? Não faz sentido e quando percebi isso, tive um salto no meu nível e consequentemente passei a aprender muito mais rápido.

#4 LUTE POR VOCABULÁRIO

tumblr_inline_mkzb8zGpsC1qz4rgp

Como eu sempre falo e aconselho as pessoas, a gramática é importante, mas pode atrapalhar você na ora de ter uma conversa bem informal e fluida com um nativo, se você ficar pensando demais e não deixar acontecer naturalmente. Mas claro, você precisa conhecer as estruturas do idioma, algumas regras básicas inicialmente para ter o mínimo de erros possível e porque você deve ter muito respeito pelo idioma de outras pessoas assim como tem ou deveria ter pela Língua Portuguesa. O que eu quero dizer é que se você conhece as estruturas, e algumas regras, com um vocabulário mais amplo consegue montar várias frases e se comunicar mesmo que não tenha uma gramática impecável. Claro que você precisa evoluir, mas o processo de “destravar” na conversação se dará de forma mais confortável à medida que você expande seu vocabulário.

Sobre o seu tempo, não desanime!

Sobre o tempo que vai usar para se dedicar à aprendizagem, varia de pessoa para pessoa e quando eu monto meus cronogramas, eu gerencio o meu tempo e adapto as minhas atividades de acordo com as prioridades. Se você estuda, mas não trabalha, tem um pouco mais de tempo do que quem estuda e trabalha. Para uma pessoa casada, o tempo ainda diminui porque existem as obrigações conjugais e rotinas que não dá para fugir. Até mesmo filhos e outros fatores. Mas não se preocupe, 15 minutos por dia fazem mais efeito que 2 horas direto apenas em um dia na semana. O importante é o contato diário. Então o que eu aconselho:

1º) Calcule o tempo que você realmente tem livre, por menor que seja. Pode parecer que tem nenhum, mas acredite, sempre temos. Anote em uma planilha.

2º) Descubra em qual horário seu rendimento é maior e dê prioridade a este. Se não houver possibilidade de aprender um novo idioma neste horário, não tem problema, mas procure observar isso. Eu aprendo muito melhor no período noturno, mas estou na faculdade então não tenho este horário disponível. Por isso uso o que tenho. Mas se você tiver escolha, use isso a seu favor.

3º) Você pode aprender em qualquer lugar, com aplicativos e toda a tecnologia a seu favor, então use!

Leiam Turbinando o Inglês, tem dicas de ótimos aplicativos gratuitos neste post.

4º) TENHA METAS e marque no calendário. Eu já falei nos posts que eu fiz um curso online pelo My English Online, mas me considero autodidata porque lá eles disponibilizam um ótimo conteúdo, mas não tem professores ou tutores. Então você aprende sozinho mesmo, a vantagem é que o acesso aos conteúdos está organizado. É o que eu busquei fazer aqui, montei arquivo com os principais conteúdos.

Os itens são baseados no livro ‘Essential Grammar in Use’ e outros sites de conteúdo em inglês. Como falei, você usa um livro de gramática para ficar mais fácil e não se “perder”, contudo eu complementei com alguns itens que acredito serem importantes. São 76 tópicos, observando que o item vocabulário possui expansão infinita. Coloquei apenas os tópicos que são imprescindíveis aprender, então fique a vontade para completar como quiser.

Plano de Estudos _Inglês

Talvez sua dificuldade não seja montagem de um plano de estudos. Muitas pessoas afirmam ter um bloqueio e não conseguem aprender. Neste caso, eu indico:

Mentalidade para a Fluência, um professor com mais de 10 anos de experiência ensina como quebrar essas “barreiras” de aprendizagem.

 

Espero muito ajudar, comentem, sigam os conteúdos do blog, compartilhem e até mais!