E agora? Como decidir qual curso fazer?

Se você deseja seguir sua vocação mas ainda não descobriu, leia este Post.

A pergunta mais frequente que as pessoas me fazem é:

“Mari, como você decidiu fazer o curso de Engenharia Elétrica?”.

Essa pergunta traz uma série de outros questionamentos e eu sou metralhada por dúvidas relacionadas ao “caminho acadêmico ideal”. As dúvidas mais frequentes são:

  • Como eu escolhi o curso;
  • O porquê de ter escolhido algo tão “diferente” e “complexo”;
  • Se em algum momento eu me arrependi de ter feito essa escolha;
  • Como é o curso;
  • Como é o mercado de trabalho;
  • Se eu aconselho a fazer um curso técnico ou entrar direto na Universidade? …e por aí vai…

Atualmente, você encontra bastantes informações na internet, porém, lá em 2006, quando estava concluindo o ensino médio, em uma escola pública, diga-se de passagem, eu não fazia ideia do que faria na vida. E nem tive um direcionamento. Na verdade, eu pensava que sabia. O fato é que um adolescente entre 17 e 18 anos não faz a mínima ideia do caminho que vai seguir – pelo menos não a maioria. Você não tem maturidade o suficiente e, pior ainda, eu acreditava – segundo o que me ensinaram – que se eu não fosse bem sucedida na escolha eu não poderia mudar depois. Que eu teria que escolher o que fazer pelo resto da minha vida com apenas 18 anos.

Essa dificuldade é normal e, apesar de os jovens terem muito mais informações que há 10 anos, eu percebo que a dúvida e o medo de errar na escolha não cessam. Com o intuito de ajudar o maior número de pessoas possível, criei o Blog DE ESTUDANTE PARA ESTUDANTE, para que a visão da vida acadêmica seja passada de uma perspectiva diferente das que tive oportunidade de conhecer. Não sou nenhuma especialista em profissões e carreira. Sou uma estudante que deseja compartilhar a visão e experiências dos cursos que fiz e faço atualmente, dando dicas simples e desanuviando os diversos caminhos que um estudante pode seguir.

Primeiro vou compartilhar com vocês de forma bem sucinta minha história – respondendo à pergunta no começo do texto – Como escolhi a Engenharia Elétrica?

A minha resposta é sempre a mesma. Eu não escolhi, eu FUI ESCOLHIDA. Parece piegas, mas foi exatamente isso que aconteceu comigo. Quando saí do ensino médio eu acreditava que cursaria Ciências Biológicas na UFMG. Como eu decidi? A disciplina que eu mais gostava era biologia, simples assim. E por que uma Universidade Pública? Porque eu não tinha condições financeiras de “bancar” o curso. O Programa Universidade Para Todos (PROUNI) já existia, mas não era tão divulgado e eu não tinha e nem busquei informações de como usar a nota do ENEM para ingressar. Enfim, paguei um cursinho, mas não passei no vestibular. Em outro Post eu falo dos motivos da minha reprovação para o texto não ficar muito extenso.

No ano seguinte, após uma recuperação parcial do fracasso, eu decidi estudar em casa, sem pagar cursinho, mas desta vez, foi diferente. Eu conheci meu primeiro namorado. Ele não tirava meu foco para os estudos, mas eu confesso que não estudei com garra, pois eu queria muito trabalhar e ganhar meu próprio dinheiro e desviei um pouco do objetivo. Mais uma vez não fui bem sucedida, porém, não teve aquele gosto amargo. Eu pensava em dar um tempo. Me reorganizar.

Eu estava plenamente feliz, cheia de planos, tinha começado a trabalhar em uma empresa, tinha um cara super legal ao meu lado e enfim poderia focar nos estudos mais à frente. Mas, de repente eu tive meu mundo virado de cabeça para baixo. Recebi a pior notícia que poderia ter recebido: meu namorado havia falecido num acidente de moto. Fiquei sem chão naquele momento, foi como se meu cérebro tivesse parado de funcionar e só meu coração batesse muito forte, querendo sair do peito. Saí do emprego porque não conseguia organizar meus pensamentos. E num dado momento, mais ou menos uns três meses depois, eu não tinha nada, não tinha rumo, não tinha esperança e era como se a única “Porta” aberta para mim fosse a DEPRESSÃO. E naquele momento, o pior de todos, eu estava em frente àquela “Porta”, mas decidi ficar bem longe dessa opção e lutar.

Soube que o Senai estava com inscrições abertas para um curso gratuito para jovens de até 24 anos – o curso de Aprendizagem Industrial. Fui fazer a inscrição para o curso de mecânica – até hoje não sei o porquê, mas estava decidida – porém só havia inscrições para os cursos de manutenção elétrica e processos administrativos. Como eu já havia feito cursos básicos nesta área de administração, preferi o de elétrica. Eu queria algo diferente e pedi a Deus para mudar o rumo da minha vida – me dar uma nova – eu estava precisando. E adivinhem?

Paralelo ao curso de Manutenção Elétrica Industrial, eu comecei a fazer um curso de Web Designer que também foi minha paixão. Eu precisava ocupar minha cabeça sendo produtiva e aos poucos fui me recuperando do choque e da dor. Mas essa não é uma história triste, então, resumindo, descobri minha paixão no curso de manutenção elétrica e, desde então, nunca mais saí da área. Fiz bons amigos, trabalhei, fiz estágio, fiz outros cursos, etc.

Claro que você não precisa de uma experiência trágica como a minha para decidir o que fazer da vida. O que quero te incentivar a fazer é buscar autoconhecimento e não desistir da escolha do curso que tem mais a ver com você. Aqui em “DE ESTUDANTE PARA ESTUDANTE” eu vou tentar te ajudar ao máximo, te guiando, aprofundando o conteúdo aos poucos, dando dicas de como chegar lá e compartilhando um pouco das minhas experiências.

A primeira dica é fazer um Teste Vocacional gratuito super legal no site do CIEE – também vou publicar um post explicando melhor como você usa o resultado do teste, muitas pessoas ficam mais confusas depois de fazê-lo:

Teste Vocacional CIEE

A segunda dica é para quem está muito perdido é o “Caderno do Eu”. Um caderno com exercícios criado por uma psicoterapeuta, coach e arteterapeuta, que te ajudarão no autoconhecimento através da reflexão pessoal. Para adquirir clique no link:

Caderno do Eu

Então? Se identificou com o assunto do Blog? Deixe seu comentário, suas sugestões…

Até a próxima!

Autor: Mariana de Jesus

Muitas pessoas me perguntam sobre minha experiência acadêmica e como decidir com confiança em qual área ingressar. É um pouco assustador, mas com dicas simples e as informações certas é possível sim descobrir sua vocação e o mais importante, decidir segui-la. Já fiz cursos técnicos, cursos de complementares de longa e curta duração, presenciais e à distância. Atualmente, me graduando em Engenharia Elétrica.

4 comentários em “E agora? Como decidir qual curso fazer?”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s